Colunistas

< voltar
Alysson Lisboa Neves Jornalista
09/Jan/2019 - 11h32 - Atualizado em 10/Jan/2019 - 11h34

A revolução dos objetos, telas dobráveis e a nova era da comunicação por som

O maior evento sobre eletrônicos e produtos de consumo do mundo este ano tem foco nas novas tecnologias baseadas em som e imagem


Por Alysson Lisboa Neves
Celular dobrável da Samsung, uma revolução que vai dar o que falar
Crédito: Reprodução da internet

A Consumer Electronics Show (CES), realizada em Las Vegas de 8 a 11 deste mês, é a maior feira de eletrônicos do mundo. Este ano o evento apresenta algumas surpresas e tendências para os próximos anos. O setor de smartphones está chegando à saturação e o momento agora é de inovação para indústrias como Samsung, Motorola e Apple.

Depois do advento dos tablets, em 2010, capitaneado pelo sucesso estrondoso do iPad, esperava-se que a tela flexível ou um tablet dobrável que poderia fazer as vezes de um smartphone chegasse logo ao mercado. Depois de quase uma década, parece que estamos diante dessa realidade. Durante a CES, mesmo a portas fechadas com alguns parceiros, a Samsung mostrou seu celular/tablet dobrável. Trata-se de um modelo ainda em finalização, mas já em protótipo o novo equipamento é realmente uma novidade interessante. O lançamento oficial está previsto para o final deste ano.

Outro ponto que chama atenção na CES é o fortalecimento dos assistentes virtuais, como Siri, Cortana e Google Assistente, que estão ganhando rapidamente a adesão dos usuários de smartphones. TVs já começam a interagir com esses sistemas, o que pode significar o fim do bom e velho controle remoto. Por meio da voz, será possível aumentar o som, trocar de canal e navegar rapidamente pelas opções dos televisores smart.

As inovações na CES não param. O forte da feira é a conexão entre dispositivos e soluções para tornar a vida das pessoas mais fácil e divertida. Um exemplo é o frigobar da Drinkshift, produzido no Japão, que acusa quando a cerveja está acabando e faz novo pedido ao fornecedor automaticamente. No evento, com mais de 1 mil estandes, teve de tudo: babás eletrônicas de alta tecnologia que ajudam na troca de fraldas até secadores de cabelo sem fio.

O dispositivo promete tradução para 15 idiomas
Crédito: Reprodução/WaverlyLabs

Tradução simultânea é a bola da vez

Douglas Adams, autor do livro "O guia do mochileiro das galáxias" (1979) é brilhante quando busca dar solução para a barreira da língua. O peixe-babel é baixinho, pequeno, amarelo e semelhante a uma sanguessuga, se alimenta de energia mental das criaturas ao redor dele e depois expele na mente de seu hospedeiro uma matriz telepática formada pela combinação das frequências mentais. Ou seja, ao introduzir no ouvido um peixe-babel, você compreende imediatamente tudo o que lhe for dito em qualquer língua. Os padrões sonoros que você ouve decodificam a matriz de energia mental que o seu peixe-babel transmitiu para a sua mente.

Adams, em 1979, vislumbrou o que as gigantes da tecnologia insistem em criar já há alguns anos: o tradutor simultâneo. O Google chegou a comercializar o Earbuds, mas o produto ainda não estava pronto e sumiu do mercado. Agora na CES 2019, a empresa Waverlylabs apresenta seu tradutor simultâneo disponível em 15 idiomas - inclusive português. Claro que trata-se de uma aposta e as falhas são esperadas, mas a tecnologia está cada vez mais próxima e acessível.

A CES de 2019 mostrou a que veio. Um evento que não apenas mostra gadgets incríveis com alta tecnologia embarcada, mas também é um evento que dita as regras da tecnologia no mundo. Temos nos próximos anos a revolução da voz como principal mecanismo para realizar tarefas básicas, como abrir portas e escolher filmes na TV. Os dispositivos hiperconectados deixarão a internet cada vez mais transparente em nossas vidas e tarefas corriqueiras cada vez mais automatizadas. Você está preparado para essa nova revolução?

##tecnologiaFavoritar

Sobre o autor
Alysson Lisboa Neves Jornalista

Jornalista formado pelo Uni-BH, Especialista em Produção em Mídias Digitais pelo IEC PUC Minas e Mestre em Comunicação Digital Interativa pela Universitat de Vic, Espanha. Mais de 20 anos de experiência em mídia impressa e digital, com passagem pelos jornais Hoje em Dia e Estado de Minas. Na Revista Encontro desempenhou a função de editor de novas mídias, coordenador da equipe digital e colunista. É também especialista em desenho de jornais e revistas em tablets e smartphones. Foi professor de jornalismo no Centro Universitário de Belo Horizonte - Uni-BH. É professor de pós-graduação no IEC PUC Minas e de Empreendedorismo no Cotemig. É palestrante nas áreas ligadas ao jornalismo digital, novas mídias, inovação em desenho de jornais e revistas, redes sociais e marketing digital. É colunista do Portal Uai e consultor de novas mídias e marketing digital.

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.