Colunistas

< voltar
Alysson Lisboa Neves Jornalista
04/Oct/2017 - 16h20 - Atualizado em 05/Oct/2017 - 19h45

Google aposta no design de dentro para fora em sua nova linha de produtos

Novos gadgets utilizam aprendizado de máquina para facilitar tarefas e entregar respostas mais rápidas. Google inaugura gadget de tradução simultânea.


Por Alysson Lisboa Neves Belo Horizonte
A nova família Pixel foi apresentada pelo Google
Crédito:Divulgação/Google

Ninguém mais tem dúvida de que o Google entrou, efetivamente, no mercado das gigantes Apple e Microsoft e há muito tempo deixou de ser um mero buscador dentro da internet. O lançamento realizado pelo Google nos Estados Unidos hoje (4/10) definitivamente reforça isso. A empresa chamou ao palco seus principais diretores para apresentar os novos produtos da linha Pixel. O seleto time de engenheiros, que hoje ultrapassa 2 mil, trabalham para ampliar as experiências dos usuários. No ano passado, o SIMI apresentou um texto sobre o lançamento da primeira versão da família (leia). 

A apresentação mostra, além de uma repaginada na linha dos produtos “Made By Google”, várias outras novidades. O celular Pixel, lançado no ano passado, ganha sua segunda versão com novas cores e a melhor câmera entre todos os aparelhos do mercado. O Pixel 2 - o novo smartphone do Google, tem preço inicial nos Estados Unidos de U$ 649 e ainda não tem data para ser lançado no Brasil.

Inteligência artificial cada vez mais natural

O que mais se ouviu durante a apresentação foram as palavras “inteligência artificial”. Estamos chegando à estagnação dos aparelhos smartphones. Não há muito mais para avançar. A cada ano, as empresas líderes de mercado, lançam algumas pequenas melhorias no que se refere à qualidade das câmeras, à duração da bateria ou outros pequenos detalhes.

Os principais competidores têm tecnologias muito similares, mas o que vai diferenciar realmente as empresas é o aprendizado da máquina e a melhoria das respostas entregues aos usuários dos diversos aparelhos, sejam smartphones ou componentes conectados à casa ou ao corpo (wearables).

“Sou vegano, então o smartphone precisa entender isso e me indicar restaurantes que não vendam carne”, completa Rick Osterlock, responsável pela divisão de hardware do Google. Essa inteligência no reconhecimento de padrões e comportamentos dos usuários está com uma acurácia cada vez maior.

Google Home Mini e Google Home Max

A família de dispositivos de som que fazem o reconhecimento de voz do Google também cresceu. O Home Mini - aparelho que parece com um hambúrguer - faz a integração entre outros dispositivos e pode, entre outras coisas, servir como alarme, caixa de som ou assistente para perguntas do Google. Já o Home Max é uma caixa de som potente, acionada por voz, que se adapta ao ambiente trabalhando os balanços ou aumentando o volume em ambientes com ruídos.

Casa conectada e mais segura

“Ok Google, me mostre a parte da frente da casa”. E a imagem é projetada na televisão. Em parceria com a Nest, empresa que trabalha Internet das coisas e circuitos internos de câmeras e sensores, é possível visualizar os ambientes monitorados da casa - mesmo à distância - apenas por comando de voz.

Com o Google Home instalado em casa, basta dizer: “Ok, Google, apague a luz” e o sistema transmitirá a informação para as lâmpadas inteligentes da casa. Atualmente, mais de mil dispositivos já “conversam” com os aparelhos home do Google.

Google entra na guerra dos laptops híbridos de alta performance

Google PixelBook é um aparelho - muito semelhante ao Microsoft Surface Book - que integra todas as funções dos demais aparelhos da empresa e tem um design fino e muito leve. Com peso de apenas 1 quilo e um centímetro de espessura, o PixelBook tem tela retrátil que se transforma em tablet ou mesa de desenho. Basta virar a tela 270 graus. O novo laptop terá um preço inicial nos Estados Unidos de US$ 999.

Fone de ouvido sem fio e uma câmera que faz clipes de vídeo

Você fala no seu idioma nativo e o interlocutor escuta a conversa já traduzida para outras 40 línguas. Esse é o futuro da tradução simultânea e o Pixel Buds promete fazer isso! A tecnologia ainda tem um pequeno atraso na resposta, mas nada que o tempo (curto) não resolva.

Para fechar a terde de novidades, outra surpresa foi apresentada -, o Google Clips. Ao custo de US$ 249, mas ainda sem data para ser comercializado, a nova câmera, parecida com uma Go Pro, produz pequenos vídeos e captura os melhores momentos em família. Assim, o Google entra com força total no mercado de gadgets de alta tecnologia e deve tirar ainda mais o sono da Apple. Não apenas pelo design de seus novos produtos, mas pela tecnologia e inteligência que está por trás de cada novo dispositivo.

Os aparelhos, juntos ou separados, aprenderam hábitos de consumo de cada usuário, buscas, caminhos e perguntas mais frequentes e, assim, com o uso de inteligência artificial e uma infinita capacidade de reconhecer e aprender padrões, dará a nós, usuários, uma experiência cada vez mais natural e simples. Ninguém mais segura o Google. E você vai ficar de fora de toda essa revolução?

Veja o vídeo com as novidades:

Veja o vídeo do novo PixelBook - o Laptop do Google

#google#pixelFavoritar

Sobre o autor
Alysson Lisboa Neves Jornalista

Especialista em produção em mídias digitais e mestre em comunicação digital interativa pela Universidad de Vic, Espanha. Mais de 20 anos de experiência em mídia impressa e digital, tendo passado pelos jornais Hoje em Dia e Estado de Minas. Na Revista Encontro desempenhou a função de editor de novas mídias, coordenador da equipe digital e colunista. É também especialista em desenho de jornais e revistas em tablets e smartphones. Foi professor de jornalismo no Centro Universitário de Belo Horizonte - Uni-BH. Professor de pós-graduação no Centro Universitário Una. É palestrante nas áreas ligadas ao jornalismo digital, novas mídias, inovação em desenho de jornais e revistas, redes sociais e marketing digital. É colunista do Portal Uai e consultor de novas mídias e marketing digital.

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.