Colunistas

< voltar
CIÊNCIA EM MINAS Redação
26/May/2020 - 16h54 - Atualizado em 27/May/2020 - 11h03

UFLA inova e apresenta solução para o setor automotivo

Pesquisa da Universidade Federal de Lavras desenvolve solução que transforma motor com carburador em injeção eletrônica


Por CIÊNCIA EM MINAS
Legenda: Motor injeção eletrônica 

Ainda existem carros que circulam com o antigo carburador no Brasil. Pensando nisso, o professor do Departa­mento de Ciência da Computação da UFLA Thomáz Chaves de Andrade Oliveira desenvolveu um protótipo de injeção eletrônica de baixo custo para substituir motores a combustão interna antigos.

A tecnologia utiliza o microcontrolador ESP 32, dispositivo programado para realizar a injeção eletrônica, substituindo o carburador. O ESP 32 também tem capacidade de transmitir dados para o celular, viabilizando a comunicação do sistema de injeção com aplicativos de dispositivos móveis para informar ao condutor sobre a performance do carro e possibilitando a alteração das configurações do motor com a finalidade de otimizar o consumo de combustível.

O sistema é de baixo custo e totalmente desenvolvido no Brasil. Após o processo de prototipagem e testes, poderá originar um produto que será repassado ao mercado para adequar os veículos carburados às normas estabelecidas pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente.

Outro ponto positivo é a possibilidade de trabalhar com motor flex em veículos antigos, com álcool e gasolina armazenados no mesmo tanque.

Para mais informações, acesse o link.

#ciênciadacomputação#industriaautomobilistica#CiênciaEmMinas#uflaFavoritar

Sobre o autor
CIÊNCIA EM MINAS Redação

Ciência em Minas é um projeto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de Minas Gerais - SEDE MG - e tem como objetivo divulgar resultados de pesquisa e soluções desenvolvidas em universidades e ICT's mineiras.

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.