Colunistas

< voltar
Alysson Lisboa Neves Jornalista
28/Nov/2018 - 11h04 - Atualizado em 29/Nov/2018 - 17h06

Uber prepara transporte pelo ar e bicicletas compartilhadas

O futuro da mobilidade e os novos meios de transporte de pessoas e cargas. Evento faz parte da programação do Finit Festival


Por Alysson Lisboa Neves
Paul Malicki, CEO da Flapper;  Ruddy Wang, general manager da Uber Brasil; Douglas Tokuno, head of Waze Carpool; e Herbert Viana, diretor de marketing da Localiza Hertz debateram o futuro da mobilidade
Crédito: Alysson Lisboa/Simi

O modelo de negócios do setor automotivo está em profunda mudança. Como será a mobilidade no futuro e quais serão os novos modais de transporte? Esses foram alguns temas debatidos durante o Mobilidade.Futuro realizado pela Fiemg, dentro do Festival Finit 2018. Patrocinado pela Uber, Localiza Hertz e BH Airport, o evento trouxe nomes importantes para falar sobre o futuro e os desafios do setor. Atualmente, o impacto que os carros causam na cidade é alarmante. Existem mais de 1 bilhão de automóveis no mundo, e, na maioria do tempo, dentro desses carros, em média, apenas 1,2 pessoa transportada. Outro problema é que 95% do tempo o carro fica estacionado, seja na garagem de casa, seja no estacionamento da empresa ou escola.

Não temos mais espaço nas cidades para abrigar tantos carros. Em São Paulo, 25% da área da cidade, ou seja 300 mil metros quadrados são utilizados para guardar veículos. Mas como mudar esse cenário, principalmente no Brasil? O veículo compartilhado em cidades que não suportam mais o volume de carros que circulam diariamente é uma solução. Mas não estamos falando apenas dos engarrafamentos. Precisamos nos deslocar cada vez mais rápido e de modo mais seguro. Mobilidade é unir todos os meios de transporte para chegar o mais rápido possível ao destino desejado.

Para Xavier Leclerc, diretor da Mox Digital - responsável pela produção e curadoria do evento, as mudanças no Brasil são visíveis. “A mudança já começou a acontecer no Brasil. Porém, estamos na fase da decepção, porque a nossa ideia de futuro estava prevendo carros voando, combustível 100% limpo e várias outras novidades. Mas os aplicativos, carros compartilhados e bilhões de dados que circulam em equipamentos já são uma realidade e as coisas estão mudando", completa.

Carros autônomos precisam de uma infraestrutura eficaz nas cidades. A internet das coisas e uma potente conexão via dados é o que vai tornar possível a cidade conectada. A previsão é de que até 2035 os carros autônomos corresponderão a 25% das vendas globais de automóveis.

Uber está trazendo novos serviços para o Brasil

Daniel Mangabeira, head do Uber no Brasil, apresentou o impacto que o serviço de compartilhamento de corridas tem gerado nas cidades. Como exemplo, na Califórnia, um dos mercados da Uber, apenas em 2017, 173 milhões de quilômetros deixaram de ser percorridos por carros, 7,5 milhões de litros de gasolina e 19 mil toneladas de CO2 foram economizados com o compartilhamento de automóveis.

Hoje, em Belo Horizonte, 50% das viagens são divididas entre duas ou mais pessoas. No mundo, 4% de todas as viagens feitas são compartilhadas. Em 2030, a projeção é que esse número chegue a 25%. Para diversificar os serviços, a Uber, em parceria com a empresa Masabi, está realizando um piloto no Canadá que deve ser copiado em várias partes do mundo, inclusive no Brasil. Será possível comprar e emitir bilhetes do transporte público. Outro serviço que está chegando é o Uber Jump. As bicicletas elétricas do Uber já começam a entrar em operação no primeiro trimestre no próximo ano. Com modelo parecido com o Yellow Bike, o serviço de aluguel de bicicletas quer ser o complemento do transporte para pequenas distâncias e deve funcionar interligado ao transporte público e a pontos estratégicos.

A Uber também quer ganhar os céus. Com o nome de Uber Air, o drone gigante transporta passageiros e deve ser uma novidade, inclusive no Brasil nos próximo anos. Veja o vídeo abaixo:

Taxistas estão diante de um dilema

Todas essas novidades não parecem incomodar os taxistas. Clauber Marcos Borges (foto abaixo), presidente da Coopertaxi, cooperativa de taxistas de Belo Horizonte, esteve presente no evento e, ao lado do diretor operacional Leonardo de Souza, conversou com a reportagem sobre o setor. Atualmente com 800 cooperados, eles destacam que hoje, em média, 150 mil corridas por mês são realizadas, sendo que 90 mil são concretizadas por meio de aplicativo. "Esses aplicativos de transporte não nos incomodaram, muito pelo contrário, eles permitiram que olhássemos para o futuro", destaca Clauber.

Enquanto os taxistas se adaptam às tecnologias, é preciso olhar para o futuro não apenas pensando nos concorrentes, mas também sobre como se dará a mobilidade no mundo. Sobre o futuro do transporte, o presidente da Coopertaxi é ponderado em sua opinião: "Vamos aguardar para ver. Temos que nos adequar às tecnologias. Se vier a tecnologia dos drones que transportam pessoas, nós, da Coopertaxi, teremos que nos adaptar também", finaliza Clauber.

FINIT Festival 

Este ano, a Feira Internacional de Negócios, Inovação e Tecnologia (FINIT) se transformou em um festival realizado em diversas partes de Belo Horizonte entre 7 e 28 deste mês. O FINIT Festival é um evento que impacta pequenos e grandes empresários, empreendedores, professores, estudantes, gestores e pessoas do ecossistema de inovação de Minas Gerais e de todo o país. 

#uber#mobilidadeFavoritar

Sobre o autor
Alysson Lisboa Neves Jornalista

Jornalista formado pelo Uni-BH, Especialista em Produção em Mídias Digitais pelo IEC PUC Minas e Mestre em Comunicação Digital Interativa pela Universitat de Vic, Espanha. Mais de 20 anos de experiência em mídia impressa e digital, com passagem pelos jornais Hoje em Dia e Estado de Minas. Na Revista Encontro desempenhou a função de editor de novas mídias, coordenador da equipe digital e colunista. É também especialista em desenho de jornais e revistas em tablets e smartphones. Foi professor de jornalismo no Centro Universitário de Belo Horizonte - Uni-BH. É professor de pós-graduação no IEC PUC Minas e de Empreendedorismo no Cotemig. É palestrante nas áreas ligadas ao jornalismo digital, novas mídias, inovação em desenho de jornais e revistas, redes sociais e marketing digital. É colunista do Portal Uai e consultor de novas mídias e marketing digital.

Temas tratados:

 

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.