Notícias

< voltar
17/Jan/2019 - 09:00 - Atualizado em 17/Jan/2019 - 08:36

Brasileiros querem desbancar Instagram com rede social do bem

Plataforma Candowell doa parte da receita com publicidade para instituições socioambientais


Por Redação Belo Horizonte/MG

Uma rede social criada por brasileiros quer desbancar o Instagram com um novo conceito de interação on-line. Batizada de Candowell (“pode fazer o bem”, em português), a plataforma de compartilhamento de imagens e vídeos permite que os participantes ajudem projetos sociais.

As funcionalidades do aplicativo são parecidas com as do Instagram: na rede, você acompanha, curte e comenta as publicações dos amigos que você segue. As principais diferenças ficam por conta da possibilidade de fazer comentários em áudio, postar vídeos sem limite de tempo e criar grupos de amigos.

O modelo de negócios é baseado na venda de anúncios. A startup se compromete a destinar 30% de toda a receita do Candowell para projetos socioambientais. Além disso, os idealizadores reservaram o valor de US$ 100 mil para ser distribuído entre organizações não governamentais no momento em que for alcançada a meta do primeiro milhão de usuários.

Como parte da estratégia de divulgação, a rede fechou uma parceria com os Youtubers Christian Figueiredo e Rafael Moreira, da banda Projeto 2B. Christian e Rafael lançaram um desafio a partir do dia 27 de dezembro, onde eles convocaram os fãs para seguirem seus perfis no Candowell e caso atinjam a meta de 75 mil pessoas no perfil do Christian e 25 mil no do Rafael, a rede social proporcionará um show exclusivo para 100 fãs.

A startup tem escritórios em Nova York e São Paulo e já negocia aporte com investidores. Mais de 20 mil usuários já se cadastraram na plataforma.

#tecnologia#Candowell#redesocialFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.