Notícias

< voltar
12/Fev/2019 - 13:11 - Atualizado em 12/Fev/2019 - 13:46

Fiemg abre inscrições para programa que busca 50 startups com soluções para a indústria

Segunda edição do Fiemg Lab 4.0 busca startups focadas em negócios B2B; inscrições vão até 15 de março


Por Redação Belo Horizonte/MG
Startups poderão ser aceleradas por 12 meses, recebendo recursos e suporte
Crédito: Divulgação/Fiemg Lab

A Fiemg divulgou, nessa segunda-feira, 11 de fevereiro, o edital da segunda edição do seu programa de aceleração de startups, o Fiemg Lab 4.0. A iniciativa tem como objetivo principal promover a inovação aberta, através da relação entre startups e indústrias. As inscrições podem ser feitas até o dia 15 de março.

O programa mudou sua forma de atuação. Desta vez, serão selecionadas 50 startups, com foco B2B, para serem aceleradas. As soluções devem ser voltadas para o setor industrial e receberão aporte de recursos equity free. Outra novidade é a mudança de endereço do coworking que, agora, será realizado no Centro de Inovação e Tecnologia - CIT Senai Fiemg.

As startups selecionadas serão aceleradas por até 12 meses, recebendo recursos e suporte para desenvolvimento tecnológico, conexões com mercado, oportunidade de realização de provas de conceito remuneradas e desenvolvimento contínuo dos modelos de negócio.

Os empreendedores poderão se relacionar com mais de 15 mil indústrias de Minas Gerais, além de outras conectadas de todo o Brasil. Outra novidade nesta edição é a inserção das Indústrias Madrinhas, que são aquelas que acreditam e realizam investimento financeiro no programa e estarão imersas em todo o processo de forma ativa. São elas: RHI Magnesita, Cemig e Gerdau.

As inscrições podem ser feitas até o dia 15 de março. Para saber mais, clique no link http://www.fiemglab.com.br/fiemg-lab-40/.

#negócios#aceleração#FiemgLABFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.