Notícias

< voltar
11/Jun/2018 - 11:58 - Atualizado em 11/Jun/2018 - 14:37

GE divulga barômetro global da inovação 2018

Pesquisa identificou como a cultura startup move a inovação global nas multinacionais


Por Redação Belo Horizonte/MG
Crédito: IBC

A inovação corporativa é um assunto bastante discutido nas empresas. Para entender este cenário, as empresas têm utilizado estratégias para conhecer as tendências globais, além de acompanhar a transformação digital que também é pauta nos principais setores da indústria global.

Buscando ajudar na compreensão desse processo, a General Eletrics (GE) lançou a edição 2018 do Barômetro de Inovação Global. De acordo com a empresa, mais de dois mil executivos de 20 países responderam questionamentos sobre oportunidades e adversidades para inovar.

Tecnologia disruptiva
Indagados sobre qual tecnologia mais impactará a indústria, 63% dos entrevistados acreditam que a impressora 3D será a que trará mais resultados positivos, aumentando a criatividade e levando para o mercado novos produtos com mais velocidade.

Desafios para inovar
A falta de mão de obra qualificada é o maior desafio para inovar, segundo o s executivos. Para eles, ter uma equipe com habilidades e talentos voltados para a inovação é fundamental para o sucesso de um novo projeto.

Eles também elencaram a falta de investimentos, dificuldade de alcançar um mercado mais amplo para as novidades já desenvolvidas e necessidade de arriscar para ter sucesso como fatores que têm dificultado a inovação corporativa.


Quem traz inovação para o mercado? 
Segundo 23% dos entrevistados, as multinacionais são as responsáveis por conduzir a inovação. Em segundo lugar, com 18% das respostas, estão as grandes empresas com sede nos países.

Estes dados apontam uma mudança grande no cenário. Em 2014, por exemplo, as pequenas e médias empresas (PMES) eram apontadas como as principais propulsoras das novidades (alcançaram o primeiro lugar com 22% das respostas). Atualmente, elas ocupam a quinta posição no ranking, representando apenas 11% da lembrança.   

Inovação das startups
Sobre a percepção dos executivos em relação ao papel das startups na inovação, não houve grandes mudanças. Em 2014, para 20% dos líderes os novos modelos de negócios eram os responsáveis pela inovação e em 2018, 18%.

Startups x grandes empresas
Segundo a GE, o fato de as multinacionais e grandes empresas terem sido vistas como grandes propulsoras da inovação na pesquisa realizada neste ano não significa que o “modelo startup” tenha sido superado. Muito pelo contrário.

Muitos acreditam que a cultura da startup tenha sido, de alguma forma, assimilada pelas empresas tidas como tradicionais. Em 2016, por exemplo, 81% dos executivos disseram ver nas startups uma forma de se reinventar e acompanhar a velocidade das transformações digitais. E aparentemente eles se apoiaram nelas para encontrar o caminho da inovação.

BARÔMETRO DA INOVAÇÃO

2014

2018

Multinacionais

19%

23%

Grandes empresas (mais de 250 funcionários) com sede no país

14%

18%

Startups e empreendedores individuais

20%

18%

Universidades e centros de pesquisa

11%

12%

Pequenas e médias empresas (de 10 a 250 funcionários)

22%

11%

Órgãos governamentais e entidades públicas em nível nacional

9%

9%

Empresas públicas

1%

5%

Entidades públicas em nível regional ou municipal

3%

2%

#pesquisa#startups#multinacionais#GeneralEletricsFavoritar

Fonte: FiemgLab

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.