Notícias

< voltar
15/Jan/2019 - 10:00 - Atualizado em 15/Jan/2019 - 15:12

“Metade das universidades vão falir em 10 anos”, afirma especialista de Harvard

Clayton Christensen, professor de negócios, dá um recado: ou as escolas mudam ou morrem


Por Redação ão
Crédito: Yale/Divulgação

Clayton Christensen, professor da Escola de Negócios da Universidade de Harvard, afirmou, durante um congresso para discutir o futuro do ensino superior, realizado nos Estados Unidos, que "50% das 4 mil faculdades e universidades nos Estados Unidos estarão falidas em 10 a 15 anos”.

Christensen é bastante conhecido por ter cunhado o termo “inovação disruptiva”. A expressão apareceu pela primeira vez em seu livro de 1997, “The Innovator's Dilemma” (O Dilema da Inovação). Desde então, ele estuda a forma como a tecnologia e as inovações estão transformando diversas indústrias, inclusive o segmento de educação.

O impacto das Edtechs

Em dois livros sobre as transformações que afetam a educação – "Disrupting Class”, escrito em coautoria com Michael Horn e Curtis Johnson, em outubro de 2016, e "A Universidade Inovadora", em coautoria com Henry Eyring de 2011 – Clayton avalia o futuro das universidades que conhecemos.

O especialista conclui em suas obras que a educação online, que vem amplamente divulgada pelas Edtechs, se tornará uma forma mais econômica e eficiente de os alunos serem formados. De acordo com ele, os modelos de negócios de instituições tradicionais morrerão ou terão de ser redesenhados para dar lugar a modelos híbridos ou 100% digitais.

Christensen não está sozinho na sua análise. O Departamento de Educação dos Estados Unidos e o Moody's Investors Service projetam que as taxas de fechamento de pequenas faculdades e universidades triplicarão e as fusões duplicarão.

No entanto, há um aspecto que a educação online não poderá substituir. Em seus estudos mais recentes sobre o assunto, o pesquisador descobriu que a maioria dos ex-alunos faziam doações generosas às suas escolas por conta de um professor.

Este professor, segundo os ex-alunos doadores ouvidos por Christensen, tiveram alto impacto na formação de seus alunos, seja por terem sido inspiradores ou excelentes tutores.

Unanimidade entre todos esses doadores, os tutores foram “um membro individual da faculdade que mudou suas vidas”. Clayton acredita que a “coisa mais importante que ensinamos a nossos alunos seja a capacidade de mudar suas vidas”, explicou. Ele ainda ressalta que isso talvez seja interrompido pela educação online.

A era da Educação 3.0 é tema de evento em SP

Em 21 de fevereiro será realizado, em São Paulo, o evento: O Edtech Conference 2019. Neste ano, o evento terá como tema “A Era da Educação 3.0 chegou- Qual o papel das escolas em uma realidade onde toda a informação está na internet?”.

Segundo a TechCrunch, o surgimento de um novo mundo de educação e aprendizado começou com o investimento em tecnologia edtech (education technology), que deve alcançar US$ 252 bilhões globalmente até 2020.

Entre os palestrantes confirmados estão Emiliano Murano do Instituto Ayrton Senna, Érica Stamato do EducaCross, Fábio Ivatiuk do Beetools, entre outros.

Os ingressos já estão disponíveis. Para saber mais, clique aqui.

#educação#ensino#universidadeFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.