Notícias

< voltar
09/Ago/2017 - 08:00 - Atualizado em 09/Ago/2017 - 10:04

Brasil e Argentina firmam acordo de cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação

Parceria tem duração de 5 anos e prevê apoio e fomento a instituições de ensino, pesquisa e empresas de ambos os países


Por Redação Belo Horizonte

Na última sexta-feira, 4, Brasil e Argentina assinaram um acordo de cooperação nas áreas de ciência, tecnologia e inovação. A parceria tem duração de cinco anos e prevê o apoio e fomento a instituições de ensino, à pesquisa e a empresas cujos trabalhos sejam de interesse mútuo para os países.

Os temas que compõem a iniciativa são energias renováveis, biotecnologia, comunicação, meio ambiente, saúde e agroindústria. O contrato prevê o intercâmbio de pesquisadores, o apoio conjunto a projetos de pesquisa que beneficiem ambos os países, a criação de laboratórios integrados e a realização de seminários, workshops e simpósios com profissionais das duas nações.

Os documentos unem a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), um órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações do Brasil, e o MINCyT (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Produtiva), da Argentina.

Propostas já foram aprovadas e estão em andamento, como o reinício das atividades do Centro Brasileiro-Argentino de Nanotecnologia (CBAN) e um apoio aprimorado ao Cabbio (Centro Brasileiro-Argentino de Biotecnologia), que forma profissionais e já capacitou mais de cinco mil pessoas, que, hoje, trabalham em pesquisas relacionadas ao setor.

Em 2018, os países devem renovar um acordo de cooperação entre o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e o Conicet, Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas, do país vizinho. A assinatura representa a renovação de uma parceria que já dura 50 anos e levou a 500 projetos de colaboração entre os países.

#inovação#tecnologia#ciência#desenvolvimento#parceriaFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.