Notícias

< voltar
06/Dez/2017 - 09:00 - Atualizado em 05/Dez/2017 - 19:34

Plataforma de passeios turísticos vence o AGITA 2017

Startup FRIP conecta pessoas locais a viajantes para oferecer passeios turísticos alternativos


Por Redação Belo Horizonte
Evento foi realizado na sede do Sebrae, em BH
Crédito: Escola do Sebrae

O AGITA 2017, programa de pré-aceleração de negócios da Escola do Sebrae, já conheceu o grande vencedor desta edição. A equipe FRIP, uma plataforma que conecta experts locais e viajantes para oferecer passeios turísticos alternativos, conquistou o primeiro lugar. O grupo é formado por Camila Gomide, Arthur Sarah, Rodrigo Game e Warley Leandro.

A aluna, Camila Gomide, acredita que o mercado mineiro é promissor. “São 26 milhões de viajantes por ano no estado, sendo que metade viaja sozinho. Os viajantes procuram experiências que se adequam ao seu perfil de viagem, e as pessoas (experts) podem ter uma renda extra com algo que gostam de fazer”, explica.

Em segundo lugar ficou a equipe Parvus. A startup tem como proposta controlar o excesso de pulverização nas lavouras. A solução é um sistema para ser acoplado em pulverizadores, com sensores para detectar os diferentes tamanhos das plantas e a quantidade de agrotóxico liberada, evitando o desperdício e reduzindo as agressões ao ambiente.

Já em terceiro ficou a Abduction Comics, que promete solucionar os problemas de produtores independentes de quadrinhos. O grupo oferece uma plataforma que apoia o produto e oferece ao leitor conteúdo inédito. “Percebemos a falta de visibilidade e a dificuldade financeira enfrentada pelos produtores de quadrinhos, além do conteúdo saturado existente no mercado”, explica o aluno da Escola do Sebrae, Lucas Leão.

Programa

O AGITA é um programa de pré-aceleração da Escola do Sebrae. São três meses de capacitação, mentorias, networking e eventos, apoiando o desenvolvimento de novas ideias de negócios e a formação de jovens com mentalidade empreendedora. O programa conta com 12 equipes, sendo que cada equipe deve ter pelo menos um aluno ou ex-aluno da Escola do Sebrae ou de escolas parceiras. Ao final do programa, as equipes são capazes de apresentar soluções inovadoras para problemas reais, se tornando mais maduras para ingressar no mercado.

#Sebrae#startups#negóciosFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.