Notícias

< voltar
26/Abr/2017 - 11:46 - Atualizado em 02/Mai/2017 - 11:25

Prêmio Mares Guia concede R$ 15 mil em prêmios para empresas jovens

Prêmio Mares Guia de Pesquisa Básica lança nova categoria que abrange empresas jovens


Por Franco Serrano/Simi Belo Horizonte

Resgatar as pesquisas ‘da gaveta’ e levá-las ao mercado é uma bandeira do Sistema Mineiro de Inovação, o SIMI, nestes seus 10 anos de existência. De mão dadas com a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais, a Fapemig, levantamos esta bandeira. Em 2017, acontece mais uma edição do Prêmio de Pesquisa Básica Marcos Luiz dos Mares Guia que incentiva pesquisas que apresentam resultado positivo de saída para o mercado ou que tenha potencial para tal em duas categorias, “Instituição/Empresa” e “Empresa Jovem”. Já em anos pares, o prêmio contempla “Pesquisador” e “Jovem Pesquisador”, em sistema de rodízio.

A maior novidade deste ano é a categoria Empresa Jovem, que premiará em especial empresas nascentes, incubadas, aceleradas, laboratórios que trabalham com pesquisa básica, startups e spinoffs. Estão contempladas nesta categoria empresas com até cinco anos de existência e com faturamento de, no máximo, R$ 3,6 milhões ao ano.

Para Márcio Barbosa, assessor da Fapemig e secretário-executivo do prêmio, a nova categoria surge para dar atenção a este novo movimento que é visto como alternativa inovadora para encaminhar pesquisas para o mercado: “O Prêmio Mares Guia contemplava, até então, os grandes pesquisadores mineiros com currículo robusto e vasta experiência criando, assim, grande disparidade entre eles e os pesquisadores com pouco tempo de carreira, recém-saídos de ICT’s, que ainda estão incubados ou sendo acelerados. É importante estimular esses jovens para que eles não saiam do caminho da pesquisa”, afirma.

“Estes novos segmentos da classe empresarial colaboram com o desenvolvimento do país e do estado, merecendo receber esse destaque e esse apoio. Eles são nosso futuro” continua Márcio. “O que nós esperamos deles, em quaisquer áreas do conhecimento, é que gerem um produto final, que não seja um paper, guardado em uma gaveta. Essa pesquisa precisa desenvolver algum serviço ou algum produto e é o que nós estamos procurando”, conclui.

Recepção

O apoio da Fapemig, por meio da nova categoria, foi muito bem recebida pelas incubadoras e aceleradoras. Para Silvana Braga, diretora-geral do SEED, criadora do Minas Digital, única aceleradora de startups pública do Brasil, o prêmio vem justamente corroborar esse cenário novo que se aplica no mundo digital, se envolvendo com o que é pesquisado nas universidades. “Esses ambientes como o nosso costumam não ser lembrados por esse tipo de prêmio. E é aqui que as coisas acontecem de forma muito colaborativa, por isso a importância desse reconhecimento”, diz Silvana.

“Comparados às universidades, esses ambientes são muito novos e ainda estamos começando a vislumbrar o tamanho que as coisas podem tomar quando as aceleradoras são utilizadas como objeto de fomento ao desenvolvimento de pesquisa e novas tecnologias, aproximando-se, assim, das universidades”, explica Silvana, e conclui: "Vejo com muitos bons olhos o fato de a Fapemig estar se aproximando de nosso ecossistema. Esse pioneirismo sempre foi marca da instituição e se mostra agora mais uma vez”.

Como participar?

As inscrições para o Prêmio de Pesquisa Básica Marcos Luiz dos Mares Guia já estão abertas até 2 de junho.

Toda a documentação necessária, bem como o procedimento para a inscrição você encontra em: fapemig.br/premio.

#pesquisa#oportunidade#edital#premiomaresguia#premiação##Fapemig#empresajovemFavoritar

Comentários

As opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores, não serão aceitas mensagens com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência. Clique aqui para acessar a íntegra do documento que rege a política de comentários do site.